Header Ads

Ponto Novo: desabafo de um funcionário público estadual

Caros pontonovenses e demais amigos.

Esse é um dos meus locais de trabalho: Colégio Estadual João Durval Carneiro - Ponto Novo-BA. Diante de tanto descaso, não dá para ficar quieto, calado, como se nada tivesse acontecendo. Aliás, nada está acontecendo mesmo! Os funcionários da limpeza e da cozinha estão há 3 meses sem receber salários e os respectivos vales-alimentação, então resolveram, de forma justa, paralisar suas atividades, até que a situação seja resolvida.
Infelizmente, o Governo da Bahia vem tornando precária a situação das escolas no Estado, principalmente depois que resolveu terceirizar parte dos serviços e acabar com os funcionários contratados sob o Regime Especial de Direito Administrativo - REDA, dos quais, eu sou o último nesta escola. O Colégio João Durval, hoje, está numa situação decadente, como mostram as fotos, principalmente porque os funcionários prejudicados resolveram parar, em protesto pelo atraso no pagamento dos seus salários, mas ele vem passando momentos complicados porque faltam outros funcionários também em outras áreas, como auxiliares administrativos e agente de portaria. É impossível para um auxiliar administrativo por turno dar conta da demanda dos serviços de uma escola de grande porte como a nossa. Aqui, esse funcionário tem que ter 1001 utilidades, abrir o portão (agente de portaria), atender alunos, professores, visitantes, dentre outras situações como elaboração de documentos, digitação de notas, históricos, transferências, etc.
Queríamos muito receber a visita do excelentíssimo senhor governador Rui Costa, para que ele pudesse, nem que fosse por uns minutos, sentir na pele o que passamos aqui. Ah! meu contrato, senhor governador, acaba dia 13 de junho próximo, e não haverá mais ninguém para atender as demandas da secretaria da escola no turno matutino, porque o senhor decidiu não realizar mais o processo seletivo para contratação de novos funcionários, mas preferiu terceirizar esse serviço, e nem isso tem resolvido nossos problemas, porque as empresas sequer estão contratando pessoas para esta Unidade de Ensino.

Para piorar, esses funcionários terceirizados, geralmente são indicados por um vereador e pelo prefeito da cidade. Detalhe: nem esse vereador, nem o prefeito estiveram aqui para atestar a situação, pressionar seus deputados ou até mesmo as empresas que não estão atuando de forma satisfatória. Eles têm boa vontade quando é para tirar algum funcionário de oposição e indicar um de sua preferência, mas na hora de atuar como representantes, preferem fechar os olhos e mostram-se verdadeiros incompetentes.
Eles podem não ser os principais culpados, mas têm sua parcela de culpa, bem como o Governo do Estado, que ao invés de economizar e contratar diretamente esses servidores, ou mesmo realizar um concurso público, prefere terceirizar os serviços, que acabam sucateados e prejudicando milhares de alunos em toda a Bahia. Até quando vamos viver esse inferno-astral que se alastra da educação para a saúde, passando pela infraestrutura e, por fim, pelos políticos que elegemos? Aonde estão todos agora? Vocês me envergonham!

Por Josimar Ferreira
Postar um comentário