Header Ads

Desembargador derruba pedido de juiz que queria tirar WhatsApp do ar

Desembargador do Piauí reconheceu liminar do juiz como não razoável Reprodução/Flickr/Jan Persiel
O desembargador Raimundo Nonato Alencar derrubou o pedido do juiz Luiz de Moura Correia que aprovou a liminar que pede o bloqueio dos serviços do WhatsApp no Brasil por não colaborar com as leis do País.

A ordem saiu do Tribunal de Justiça do Piauí, e segundo o desembargador a ordem do juiz da Central de Inquéritos da Comarca de Teresina não era razoável, já que afetaria a vida de milhões de brasileiros.

Apesar de o processo estar tramitando na Justiça em segredo, a liminar que foi enviada a Vivo acabou vazando na web e subiu à tona a ordem do juiz para que os provedores do País suspendessem o acesso aos serviços do WhatsApp. De acordo com a sentença, a ordem teria sido dada após a empresa não ter cumprido determinações judiciais de 2013.

A liminar determinava que o serviço saísse do ar nas próximas 24 horas, mas o serviço de mensagens continuou funcionando normalmente porque as empresas entraram na Justiça contra a medida. Além disso, a greve do judiciário piauiense também teria prejudicou o cumprimento do mandado.

Mesmo que a decisão do juiz tenha sido derrubada, as autoridades do Piauí afirmaram que pretendem continuar as investigações sobre os crimes que ocorrem frequentemente no aplicativo, além de reforçar a necessidade do WhatsApp se adaptar às leis brasileiras.

R7
Postar um comentário