Header Ads

Prefeito de Filadelfia se manifesta sobre espisódio da Rádio Comunitária

Todos sabem que eu, Barbosa Júnior, só posso ocupar espaço na Rádio Várzea do Curral quando eles citam meu nome indevidamente e, amparado pela Justiça, consigo o direito de resposta.
Todos sabem também, que critico, há muito tempo, a Rádio Várzea do Curral, pela sua tentativa escancarada de manipular o povo filadelfense.
Mais precisamente nos programas dos radialistas Domingos Neto e Antônio Carlos, fui, por inúmeras vezes atacado, desrespeitado e achincalhado. Atentam contra a minha honra e contra o meu nome, sem o menor critério, senso de coerência ou de justiça.
Desde os 15 anos, luto por melhorias para nosso município e sempre fui de encontro aos posicionamentos dessa oposição. Sei que minhas ações estão incomodando os membros deste grupo, bem como, aos locutores e diretores da rádio que integram o grupo político oposicionista. Afinal, é muita ousadia um Jovem de 24 anos, desafiar um grupo político, encrostado no poder, derrota-lo nas urnas, ganhar o apoio e a simpatia da população, vislumbrar projetos e conseguir colocá-los em prática, como um governo de seriedade, compromisso e desenvolvimento deve fazer.
Não reconheço a rádio Várzea do Curral como fonte confiável de informações, e, basta, para isso, olhar ao longo de seus programas: São difamações a mim direcionadas, tentativas de persuadir o ouvinte, a não divulgação das ações do governo, a constante deturpação das ações que desenvolvo e o intuito velado de causar o caos no município.
Para terem uma ideia, no dia 23 de setembro tinha uma entrevista no programa Filadélfia em Notícias, a entrevista foi sumariamente cancelada, segue integra da justificativa da rádio Várzea do Curral FM: “A diretoria da Rádio Comunitária Várzea do Curral FM, vem por este comunicar que, em virtude da entrevista solicitada por sua excelência e já agendada e realizada com o Radialista Domingos Neto no programa Jornal da Manhã, nesta rádio comunitária, no dia 6 de setembro de 2013, fica inviável a sua solicitação de entrevista no dia 23 de setembro de 2013, no programa Filadélfia em Notícias, também nesta mesma rádio comunitária, uma vez se tratando de duas entrevistas com o mesmo entrevistado em um período curto de tempo, sem especificar motivos suficientes para tal necessidade.”
Vale ressaltar que a entrevista precedia a Festa do Feijão e que durante a entrevista que concedi no dia 6 de setembro, no programa de Domingos Neto, quem na verdade me entrevistou durante o maior tempo foi o radialista Antônio Carlos do programa Filadélfia em Notícias, que usou o tempo da entrevista para me inquirir sobre tudo o que ele julgou conveniente.
Agora me digam, como pode uma rádio que diariamente veicula críticas à minha administração, nos programas da manhã e da tarde, apresentar como justificativa o curto intervalo de tempo entre uma entrevista e outra? Eu não posso me defender? Eu não tenho direito de resposta? Não posso explanar e explicar as ações do governo, simplesmente, porque questão eles inventaram um tempo mínimo pra isso? Esta é uma rádio comunitária mesmo? Ou seria partidária?
Ninguém questiona o direito da Rádio Várzea do Curral mostrar os problemas da cidade. Seria, antes, um dever para qualquer órgão de imprensa. Dever que a Rádio Várzea do Curral jamais cumpriu quando o antigo gestor deixou a prefeitura com problemas sérios em todos os setores da administração pública, inclusive quando deixou serviços essenciais parados.
Quando ela diz que denuncia os maus administradores, deveria dizer, sim, que ataca e tenta desmoralizar os homens públicos que não se vergam diante de seu poder.
É compreensível uma rádio que sempre viveu de concessões e favores do poder público não ser capaz de ver nos outros, senão os vícios que carrega em si mesmo.
Que o povo filadelfense faça seu julgamento, e, na sua consciência lúcida e honrada, separe os que são dignos e coerentes daqueles que sempre foram servis e gananciosos.

Barbosa Júnior, prefeito eleito legitimamente pelo povo de Filadélfia
Postar um comentário