Header Ads

Festa do Dia dos Evangélicos de Ponto Novo 2013: um fiasco!

Público presente, aproximadamente 500 pessoas, durante a noite (Foto: Portal Ponto Novo).
Da Redação
Portal Ponto Novo
Foram realizadas neste domingo (27) as comemorações do Dia dos Evangélicos 2013 em Ponto Novo. Como já havia sido antecipada pelo Portal Ponto Novo, a possibilidade de o evento ser um fiasco, uma vergonha, em termos de presença de público acabou se concretizando.

Aproximadamente 500 pessoas estiveram na Praça do Comércio, durante a noite, para acompanhar o show do cantor pontonovense Adailton Silva, que começou por volta das 22 horas, com a praça bem mais vazia e terminou cantando para mais ou menos 200 pessoas, exatamente às 23 horas. As comemorações começaram por volta das 16:00 hs com a Praça vazia, como pode ser visto na foto, com as participações das igrejas.
Inicio das comemorações, às 16:00, para menos de 100 pessoas (Foto: Portal Ponto Novo).
Opinião
Esse fiasco, apesar de previsto pelo PPN, parece que pegou de surpresa muita gente naquela Praça, pois nossa redação ouviu várias pessoas que se disseram decepcionadas, envergonhadas com a presença do público, que mais parecia público de culto ao ar livre realizado por apenas uma igreja, e não um evento que deveria reunir evangélicos e demais pessoas do município e das cidades vizinhas.

Para nosso redator, o público esperado deveria ser aquele, desde o anúncio oficial da programação, uma vez que atrações locais tendem a não atrair o público como uma atração de maior destaque. "Parabéns" aos organizadores e, principalmente aos que estiveram diretamente envolvidos com as contratações, que foram capazes de gastar 16.200 reais (segundo líderes das igrejas, ouvidos pelo PPN), e não tiveram a competência para contratar uma atração nacional para uma data tão especial. Conseguiram envergonhar a maioria dos evangélicos e deixá-los frustrados. Ao invés de reconhecerem sua incompetência, preferiram falar que tinha gente que queria ver Michael Jackson, ou uma atração internacional.

O prefeito Adelson que, aparentemente, não tinha culpa, uma vez que a informação era de que disponibilizou o recurso para que os evangélicos, através do (s) seu (s) representante (s) contratassem as atrações, assumiu no palco que essa festa era o melhor que ele poderia fazer no momento, então, assumiu que realmente o evento deixou muito a desejar. Repito: com 16.000 era possível trazer um grande nome da música gospel e ainda os cantores locais, desde que se tivesse mais cuidado e nomeado alguém que realmente quisesse tentar fazer um evento mais digno, menos vergonhoso.

A festa em si, foi boa, mas o público presente foi o retrato da desorganização, de uma equipe despreparada para organizar um evento que deveria ser tratado com a mesma, ou até mais importância, que uma Festa de Maio, afinal é para Jesus, ou deveria ser. Talvez seja a hora da Prefeitura assumir o controle, as contratações, e deixar para as igrejas apenas a programação do dia da Festa, como se fazem em outras cidades, já que as igrejas não estão unidas, como também ficou provado na Praça do Comércio, na VERGONHOSA noite do dia 26/10. Os evangélicos mereciam uma festa melhor.
Público na Festa Evangélica de Ponto Novo em 2011 e 2013. (Fotos: Portal Ponto Novo)

Em 2013, além do número pífio de pessoas, não houve a alvorada, nem o café comunitário como em 2011. Estrategicamente  os toldos montados foram colocados quase no centro da praça, para diminuir a sensação de vazio do espaço. Algumas pessoas reclamaram da falta de divulgação, mas possivelmente uma ampla divulgação não atrairia mais pessoas. Outro detalhe importante é salientar que nos eventos evangélicos, diferentemente das festas populares e tradicionais, são as pessoas que vêm de outras cidades que garantem presença até o final, já que, ao saírem das suas cidades, comprometem-se a ficar até o fim. Foi a ausência de pessoas de outros municípios que provocou um final de show melancólico da atração principal em Ponto Novo, que cantou apenas 6 hinos.

A Festa Evangélica de Ponto Novo precisa ser pensada e projetada para aquecer as vendas no comércio local. Precisa ser um período de vendas de roupas e calçados, para isso basta pensar numa outra forma de atuação, contratar grandes atrações e ao invés de evento à tarde no palco, pensar num trio com uma Marcha para Jesus, com uma atração regional puxando os jovens e demais pessoas pela Avenida Lomanto Júnior, e à noite, a atração principal no palco. Resumindo, é fácil fazer uma Festa barata e convincente, boa para os evangélicos, para os não evangélicos, para o comércio e para todos.
Postar um comentário