Header Ads

Dicas para uma administração eficiente

O mês de janeiro já acabou, fevereiro entra em ritmo acelerado, breve chega março, somando 90 dias de administração municipal para os prefeitos e prefeitas eleitos em 2012. As demandas sociais e administrativas já foram sentidas neste início de mandato, o que favorece a uma análise do próprio gestor para a resto do seu mandato. É preciso avaliar sempre, pois a população necessita dos serviços que o município oferece e, por isso, há que avaliar para governar bem.

A Revista Caro Gestor publicou texto do presidente do Instituto Municipal de Administração Pública (IMAP), José dos Reis Aboboreira. Segue alguns indicações que o advogado dá aos gestores para uma administração eficiente:

Preparar ou adequar, lei de estrutura administrativa que crie os cargos comissionados e funções gratificadas, definido com clareza e objetividade a competência de cada órgão da Administração Municipal, as atribuições de cada cargo público, os requisitos e perfil para o acesso dos prováveis ocupantes, adequando-os ao seu projeto de governo, as políticas públicas que deseja implantá-las, visando a prestação eficiente de serviços a sociedade, rumo ao bem comum.

Selecionar de preferência técnicos – equipe de qualidade profissional e comprometimento testado para secretários, diretores, chefes, membros de comissão de licitação, assessores jurídicos, contábeis, controladores e administradores.

Implementar programas de modernização administrativa, abolindo as velhas práticas e praxes administrativas de outrora que embora legais e morais, não direcionam a Administração Pública para o seu desenvolvimento institucional.

Criar política pública de valorização dos servidores eficientes e comprometidos, capacitando-os e potencializando seu processo inovador, criativo e de produtividade.

Adotar tecnologias inovadoras de acesso à informação ao público, criadas ou armazenadas pela administração, assim como para o desenvolvimento eficiente da integração dos serviços de saúde, da administração tributária, da gestão de documentos, da educação, do controle de custos, despesas, orçamento, finanças, patrimônio, frota, consumo, recursos humanos.

Finalizando o presidente do IMAP diz que é preciso o gestor manter o equilíbrio orçamentário, reduzindo o endividamento, as despesas, anulando empenhos, prevenindo riscos, cumprindo metas, ações e programas.

Fonte: UCIB
Postar um comentário