Header Ads

Recurso não resgatado do FUNDEF 2005 poderia cobrir metade do rombo no IPPN

Da Redação
Portal Ponto Novo
Na última semana, uma matéria elaborada pelo reporter Neto Maravilha, e divulgada em diversos meios de comunicação da região, demonstrou que milhares de reais que não foram repassados em 2005 pelo então Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério-FUNDEF aos municípios da região, poderão ser resgatados, desde que as prefeituras requeiram esses recursos judicialmente.
No caso de Ponto Novo, o total que pode ser resgatado é de R$ 3.212.318,21 (três milhões, duzentos e doze mil, trezentos e dezoito reais e vinte e um centavos), valor cobiçado pelos professores, porque R$ 1.927.390,92 (60%) poderiam ser rateados entre os profissionais. Contudo, o rombo no Instituto de Previdência de Ponto Novo-IPPN, provocados por gestores que não repassaram os valores descontados dos funcionários, já se aproxima dos 6 milhões de reais. Se o total desse dinheiro fosse utilizado para pagar parte dessa pendência, tudo poderia ficar mais fácil, inclusive a negociação com o INSS para que os encargos previdenciais do funcionalismo de Ponto Novo voltassem para o Instituto Nacional da Seguridade Social ou para qualquer banco que, porventura, aceitasse negociar a dívida previdenciária.
Até o momento, o prefeito Adelson Carneiro não se manifestou sobre o assunto, porém, o tema é de suma importância e deveria ser levado a sério, seja pelo resgate e repasse de parte do valor aos professores, ou pelo resgate e pagamento de parte da dívida com o IPPN, que está virando uma avalanche, que dificilmente terá outra oportunidade como essa para ser parcialmente sanada.
Postar um comentário