Header Ads

Denúncia: descaso com a delegacia de Ponto Novo reflete na segurança da cidade

Da Redação
Portal Ponto Novo
Na tarde desta segunda-feira (12) o Portal Ponto Novo teve acesso à Delegacia da cidade e registrou o descaso do Estado para com a segurança do município de Ponto Novo.
Para começar, a cidade conta apenas com um agente da Polícia Civil, que sequer tem viatura, além de apenas um investigador. Como visto in loco pelo Portal, um problema leva a outro. Por falta de mais agentes, os presos não podem ficar mais tempo no banho de sol, não se tem segurança para locomoção deles quando necessário, dentre outras dificuldades.
A cidade não conta com um delegado titular há muito tempo e o problema se arrasta sem que nenhuma providência seja tomada. Na Delegacia falta impressora, o computador não funciona porque a CPU está quebrada, a alimentação dos detentos é trazida pela família, mesmo sendo dever do Estado e o prédio aonde funciona a Depol foi condenado no início de 2011 por uma perícia, que atestou que o local não oferece nenhuma condição de abrigar detentos e funcionar com os objetivos de uma Delegacia.
À nossa reportagem, detentos informaram que as celas estão infestadas de insetos, inclusive baratas, e têm que usar inseticida para matá-los. Cano quebrado molha uma das celas, a água que serve para beber e para o banho parece estar contaminada, uma vez que ao tomar banho são acometidos por coceiras, alegaram também que estão adoecendo dentro da carceragem por conta das péssimas condições de higiene. Informaram ainda que a caixa d'água está há mais de 1 ano sem passar por limpeza. Um deles mostrou vasos de água mineral comprados pela família para evitar que ele consuma da água da caixa contaminada por fezes de gatos. Outro disse que a sua também gasta mais de 200 reais por mês com sua alimentação. Um terceiro informou que, está preso há mais de 1 ano e, por não ter ninguem da família morando na cidade, passa fome na cela e, recentemente, um outro colega passou a dividir a comida que recebe com ele.
Por último, reclamaram também da Defensoria Pública que, segundo eles, não mostra empenho em ajudá-los, o que faz com que as decisões judiciais também retardem.

Os problemas na Delegacia de Ponto Novo estão num patamar que pode ser considerado inaceitável por qualquer cidadão ou entidade responsável. Porém, nota-se pouca vontade de mudar esse quadro deplorável. Recentemente, o detento conhecido como Nicolau fugiu e não foi recapturado, o que mostra o estado frágil da delegacia e a falta de condições mínimas operacionais para que a segurança de Ponto Novo venha a sair da "UTI".
Postar um comentário